02 fevereiro 2015

Você



A cada dia que passa eu me distancio. Da mesma forma que você se distanciou. Mesmo tendo medo de outro você aparecer e me deixar louca de paixão. Me fazer entrar em uma bolha cheia de amor. E me deixar enlouquecida de você. 

Você é aquele poço da esquina. E aquele prédio enorme da 25. Você se transforma em todas as minhas milhões de lágrimas e todos os meus borrões do caderno. Você é a almofada que comprei ontem. E todos os meus sorrisos do ano anterior. Você é aquela flor do jardim que me chamou atenção. Você é a dor que um calo faz, mas também é o remédio que ameniza.

Você está tão longe e tão perto. Me afronta e me completa. Precisaria de mil tijolos para esconder o que sinto. E nem com todos eles conseguiria esconder tudo isso. Pois até quem me ver sorrindo na fila do pão sabe que te encontrei. Até quem me vê deitada no banco da praça, olhando para as estrelas, sabe que estou pensando em nós dois. Sabe que estou pedindo a Deus que você apareça revirando tudo. Que bagunce tudo outra vez. 

Você é aquele livro da estante. Aquele perfume que está acabando. O escuro de fim de tarde. E o claro do amanhecer. Você é uma flor brotando. Ou aquele filme que tanto amo. Você é aquela foto da praia que tirei. Você é a felicidade que meu cachorro tem quando me ver. Você é aquele cheiro de maçã que eu sinto quando passo no supermercado. 

Já fui embora tantas vezes e volto sem que você perceba. Sem que você saiba. Sem que você sinta. Volto sorrindo e chorando. Mas sempre volto.

Você é aquele sorvete gelado em um dia quente. Você é o abraço do meu pai quando tenho um pesadelo. Você é um amor de verão. De inverno. Amor de primavera. E com certeza um amor de outono. Você é tudo aquilo que me faz ser quem eu sou.

9 comentários:

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo