06 fevereiro 2015

Resenha: Gabriela, cravo e canela

Oi amores! Escolhi um livro do meu autor favorito e que se passa na minha cidade natal. Fiz uma visita para relembrar as raízes e aproveitei para trazer um pouco do interior da Bahia para vocês, vamos lá:


A história ocorre na "antiga Ilhéus", quando o cacau era o ouro do Brasil e trazia o tão aclamado "progresso" para a cidade litorânea. Passeando pela cidade você encontrará alguns muros retratando a Ilhéus de fazendeiros e coronéis. Até hoje a herança dos donos de cacau perpetua na cidade, falam dos meus avôs e bisavôs com muito respeito e muito esmero por causa dessa "regra" desenvolvida pelos ilheenses.


O enredo ocorre principalmente no bar de seu "Nacib" que é um árabe registrado como brasileiro e crescido em Ilhéus, na verdade, a história gira em torno do seu romance com a mundialmente conhecida "Gabriela".


"Aventuras e desventuras de um bom brasileiro (nascido na Síria) na cidade de Ilhéus, em 1925, quando nascia o cacau e imperava o progresso".
"Alegrias e tristezas de uma filha do povo nas ruas de Ilhéus, da cozinha ao altar (aliás altar não houve devido a complicações religiosas), quando acabava o farto dinheiro e transformava-se a vida".
Descrições de dois principais capítulos acerca do nosso casal principal.


A tão formosa e aclamada Gabriela com sua pele cor de canela e seu perfume de cravo, com sua cabeleira espessa, preta e cacheada, seu corpo bem feito e seu sorriso de menina travessa sempre pronta para conquistar. Não há quem nasça nessa terra, até hoje, com características semelhantes que não seja comparada a "Gabriela, cravo e canela".


Quem nunca ouviu falar sobre o famoso Bataclan?Visitado por fazendeiros e coronéis renomados, até hoje o lugar é ativo. O Cabaré mais famoso da região, motivo de cobiça lá fora pelos comentários sobre as "mulheres da vida" retratadas frequentemente nos livros de Jorge.


A cidade está um pouco abandona e suja, mas nada - nem o desleixo eterno do Brasil com o interior Baiano que também é retratado no livro- retira a beleza e as histórias que Ilhéus tem para contar, cada centímetro da cidade agradece a Jorge Amado pela fama e chora pela riqueza passageira do milagre do cacau.



Fiquei muito triste porque fui visitar em um "domingo" e estava fechado.


Mesmo que a safra não seja a mesma, o cacau e seus derivados ainda são comercializados na região e eu como uma boa chocólatra não poderia deixar de provar e aprovar os chocolates da Chocolates Caseiro Ilhéus que fica bem no comecinho da cidade.


 Finalizo com essas duas fotos lindas do meu escritor favorito com um dos meu romances favoritos.


Bom, paguei o "post" que prometi trazer mais fotos tiradas por mim e de quebra não dei spoiler sobre o livro (foi difícil não comentar as cenas principais com essas fotos), mas fala pra mim o que mais vocês gostariam de ver/ler e visitem Ilhéus, visitem o interior da Bahia que nosso Nordeste merece, beijoos.


8 comentários:

  1. Da nossa terra é melhor haha
    Você é de Salvador? Ahh. Sou de Coaraci-BA.
    Quero um encontrinho ai :c
    www.iamcamilakellen.blogspot.com
    www.facebook.com/iamcamilakellen

    ResponderExcluir
  2. Amo a literatura brasileira, amo os clássicos!

    Bjs – Su
    www.rosachiclets.com.br

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo post tão lindo e poético <3
    Eu ainda não li o livro, mas está na minha listinha haha, só vi a série e gostei muito! Apesar da globo sensualizar tudo consegui captar bem a história :D
    Que lugar mais lindo, deve ser uma delícia de cidade!
    Beijos, seguindo.

    Diva de Brechó

    ResponderExcluir

Criado por: Mariely Abreu | Todos os direitos reservados ©. voltar ao topo